As origens do Sindilojas remontam há mais de duas décadas antes de sua formação legal. Afinal, foi a legislação sindical instituída no Brasil na década de 1930, sob o governo de Getúlio Vargas, que inaugurou o que viria a se tornar o sistema oficial para a intermediação dos interesses dos atores emergentes no novo cenário político do país – os empresários e os trabalhadores urbanos. 

 

Foi no final de década de 50 que Itajaí começa a ter no comércio um pouco mais de expressão e poder, com comerciantes e lojistas liderando iniciativas de criação de jornais, rádios e sindicatos patronais. O ano de 1958, em especial, é o marco de uma série de acontecimentos históricos que mostram bem a efervescência na vida social, política e sindical do País. O presidente Juscelino Kubitschek entrava no segundo ano de seu mandato. Comerciantes, políticos, industriais e a alta sociedade itajaiense se uniram e em fevereiro inauguraram o Iate Clube Cabeçudas. 

 

Nesta mesma época de reorganização social e política da cidade, a Associação Profissional dos Lojistas do Comércio de Itajaí se firmava como entidade e seus integrantes decidiram buscar na organização sindical o respaldo que faltava para lidar com as questões trabalhistas do comércio lojista, na época já sofrendo pressões do Sindicato dos Empregados do Comércio de Itajaí, criado em 1950 e liderado por Moacir Peixoto Bastos.

 

Em 1º de março de 1958, comerciantes fazem a Assembleia Geral e decidem transformar a associação no então Sindicato dos Lojistas de Itajaí, o início de uma história marcada por dificuldades e conquistas que hoje fazem do Sincomércio um dos mais influentes sindicatos patronais da região de Itajaí.

 

 Os idealizadores

 

De acordo com o relato dos associados pioneiros, o primeiro presidente oficial do sindicato foi o atacadista Arnoldo Cabral, comerciante que sempre gozou de grande prestígio na comunidade. Teria sido Arnoldo Cabral o condutor dos primeiros e hesitantes passos da nova entidade e, junto com sua diretoria, teria realizado um trabalho árduo e relevante de aglutinação e consolidação do sindicato nos seus primeiros anos de atuação.

 

Dos fundadores do Sindicato, o empresário Francisco Vicente Coelho, hoje com mais de 70 anos, é o único ainda vivo.  Seu “Tico”, como é mais conhecido, na época um jovem com pouco mais de 20 anos, já trabalhava na empresa Vicente Honorato Coelho, loja do seu pai em Navegantes. 

Com memória prodigiosa, o empresário lembra de alguns dos homens que faziam parte daquela organização inicial que deu origem ao Sindicato, entre eles Mussolini Cechinel, Evaldo Willerding, Camilo Mussi, Jacó Mussi, Egídio Narciso, João Macedo, Lauro Silva, Arnoldo Cabral, Osni Raimundo, Antônio Wollinger e João Fabrício Cesário.

 

Outros nomes foram registrados por um dos jornais mais populares da cidade em 1958, o Jornal do Povo. Numa reportagem de capa da edição de 25 de maio de 1958, o jornal relembra a ‘churrascada’ no Restaurante Tay, oferecida pelos membros da Associação dos Lojistas de Itajaí aos deputados federais Josué Cláudio de Souza e Manoel Barbudas. Os deputados vieram a Itajaí especialmente para a entrega da tão esperada carta sindical. 

 

“Num gesto que a todos cativou, o esforçado parlamentar (Josué Cláudio de Souza), acompanhado de seu companheiro de bancada, deputado Manoel Barbudas, visitou a cidade, fazendo a entrega, pessoalmente, ao Sr. José Pereira Duarte, presidente daquela entidade de classe, do aludido documento, que constituía uma aspiração dos nossos comerciantes”, destacou o jornal. 

 

Assumindo às vezes de orador do novo sindicato, o doutor Francisco Rangel agradeceu o empenho junto ao Ministério para a liberação rápida da carta sindical (apenas dois meses), liberação que para muitos sindicatos podia durar até anos.  O deputado Barbudas, o deputado Josué, o diretor do Jornal do Povo, Abdon Fóes, e o presidente da entidade, o comerciante Josué Pereira Duarte discursaram na ocasião.

 

  Linha do Tempo

 

1958

Sob a articulação do atacadista Arnoldo Cabral, os empresários da região de Itajaí fundam em 1º de março o Sindicato dos Lojistas do Comércio de Itajaí, a partir de uma associação de lojistas existente havia duas décadas.  

 

1967

Em reunião da Fecomércio/SC, uma assembleia geral no dia 24 de outubro de 1967, sob a presidência de Haroldo Soares Glavam, o Sindicato é aceito como associado do Sistema Confederativo do Comércio.

 

1978

Em 27 de fevereiro, na sede recém inaugurada na Rua Hercílio Luz, nº 110, 4º andar, a Agência do Senac em Itajaí passa a funcionar no mesmo local. Em 19 de outubro do mesmo ano, foi votada a extensão de representação para o comércio lojista, varejista e atacadista, passando a se chamar Sindicato do Comércio Lojista, Varejista e Atacadista de Itajaí.

 

1980

Em 28 de fevereiro, o sindicato tem novo nome e passa a se chamar Sindicato do Comércio Varejista de Itajaí, segundo a portaria do MTb 324.090/78, por Murilo Macedo.

 

1982

O sindicato compra uma sede própria, na Rua Pedro Ferreira, número 155, 17º andar, sala 1701, no Edifício Genésio de Miranda Lins. O Sindicato faz a contratação de serviços de advocacia. Em 16 de junho, numa reunião extraordinária na sede do CDL, o advogado Luiz Tarcisio passa a atuar em caráter experimental sob aprovação dos associados.

 

1984

Primeira ação da nova diretoria, liderada por Paulo Roberto Sada Graf, é transferir a sede do sindicato para a sede da CDL, na rua Lauro Muller, unindo CDL, Sindicato e SPC. É criada uma central de cobranças. 

 

1991

Tempos difíceis para negociações. Acontece o primeiro dissídio coletivo. O Sindicato no mesmo ano de torna Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Itajaí e Região.

 

1994

É realizada a primeira pesquisa de satisfação do comércio com a Brasmarket. No dia 24 fevereiro de 1994, o Sindicato ajudar e articular a fundação da Associação Intersindical Patronal de Itajaí. 

 

2001

Mudança no estatuto para mandato de dois anos, para coincidir com os mandatos da federação e confederação do comércio. Decide-se a inclusão do sindicato no sistema Sicomércio. 

 

2002 

A partir deste ano, o sindicato dos atacadistas é fundado, alterando a denominação da entidade para Sindicato do Comercio Varejista de Itajaí.

 

2005 

No dia 6 de outubro, numa Assembleia Geral Extraordinária, com 15 associados, discute-se a aprova-se a edificação do prédio do Sindilojas em terreno na Rua Brusque, a fim de proporcionar renda para a entidade. Projeto é elaborado pelo engenheiro João Carlos Toth.

 

2007

Acontece a inauguração do Centro Empresarial Sindilojas, edifício de dois pavimentos na Rua Brusque.

 

2008

No dia 29 de fevereiro, no Restaurante Castelo Montemar, o Sindicato comemora seu cinquentenário com a presença de ex-presidente, comerciantes fundadores e convidados. É lançada a revista sobre a história do sindicato.

As origens do Sindilojas remontam há mais de duas décadas antes de sua formação legal. Afinal, foi a legislação sindical instituída no Brasil na década de 1930, sob o governo de Getúlio Vargas, que inaugurou o que viria a se tornar o sistema oficial para a intermediação dos interesses dos atores emergentes no novo cenário político do país – os empresários e os trabalhadores urbanos. 

 

Foi no final de década de 50 que Itajaí começa a ter no comércio um pouco mais de expressão e poder, com comerciantes e lojistas liderando iniciativas de criação de jornais, rádios e sindicatos patronais. O ano de 1958, em especial, é o marco de uma série de acontecimentos históricos que mostram bem a efervescência na vida social, política e sindical do País. O presidente Juscelino Kubitschek entrava no segundo ano de seu mandato. Comerciantes, políticos, industriais e a alta sociedade itajaiense se uniram e em fevereiro inauguraram o Iate Clube Cabeçudas. 

 

Nesta mesma época de reorganização social e política da cidade, a Associação Profissional dos Lojistas do Comércio de Itajaí se firmava como entidade e seus integrantes decidiram buscar na organização sindical o respaldo que faltava para lidar com as questões trabalhistas do comércio lojista, na época já sofrendo pressões do Sindicato dos Empregados do Comércio de Itajaí, criado em 1950 e liderado por Moacir Peixoto Bastos.

 

Em 1º de março de 1958, comerciantes fazem a Assembleia Geral e decidem transformar a associação no então Sindicato dos Lojistas de Itajaí, o início de uma história marcada por dificuldades e conquistas que hoje fazem do Sincomércio um dos mais influentes sindicatos patronais da região de Itajaí.

 

 Os idealizadores

 

De acordo com o relato dos associados pioneiros, o primeiro presidente oficial do sindicato foi o atacadista Arnoldo Cabral, comerciante que sempre gozou de grande prestígio na comunidade. Teria sido Arnoldo Cabral o condutor dos primeiros e hesitantes passos da nova entidade e, junto com sua diretoria, teria realizado um trabalho árduo e relevante de aglutinação e consolidação do sindicato nos seus primeiros anos de atuação.

 

Dos fundadores do Sindicato, o empresário Francisco Vicente Coelho, hoje com mais de 70 anos, é o único ainda vivo.  Seu “Tico”, como é mais conhecido, na época um jovem com pouco mais de 20 anos, já trabalhava na empresa Vicente Honorato Coelho, loja do seu pai em Navegantes. 

Com memória prodigiosa, o empresário lembra de alguns dos homens que faziam parte daquela organização inicial que deu origem ao Sindicato, entre eles Mussolini Cechinel, Evaldo Willerding, Camilo Mussi, Jacó Mussi, Egídio Narciso, João Macedo, Lauro Silva, Arnoldo Cabral, Osni Raimundo, Antônio Wollinger e João Fabrício Cesário.

 

Outros nomes foram registrados por um dos jornais mais populares da cidade em 1958, o Jornal do Povo. Numa reportagem de capa da edição de 25 de maio de 1958, o jornal relembra a ‘churrascada’ no Restaurante Tay, oferecida pelos membros da Associação dos Lojistas de Itajaí aos deputados federais Josué Cláudio de Souza e Manoel Barbudas. Os deputados vieram a Itajaí especialmente para a entrega da tão esperada carta sindical. 

 

“Num gesto que a todos cativou, o esforçado parlamentar (Josué Cláudio de Souza), acompanhado de seu companheiro de bancada, deputado Manoel Barbudas, visitou a cidade, fazendo a entrega, pessoalmente, ao Sr. José Pereira Duarte, presidente daquela entidade de classe, do aludido documento, que constituía uma aspiração dos nossos comerciantes”, destacou o jornal. 

 

Assumindo às vezes de orador do novo sindicato, o doutor Francisco Rangel agradeceu o empenho junto ao Ministério para a liberação rápida da carta sindical (apenas dois meses), liberação que para muitos sindicatos podia durar até anos.  O deputado Barbudas, o deputado Josué, o diretor do Jornal do Povo, Abdon Fóes, e o presidente da entidade, o comerciante Josué Pereira Duarte discursaram na ocasião.

 

  Linha do Tempo

 

1958

Sob a articulação do atacadista Arnoldo Cabral, os empresários da região de Itajaí fundam em 1º de março o Sindicato dos Lojistas do Comércio de Itajaí, a partir de uma associação de lojistas existente havia duas décadas.  

 

1967

Em reunião da Fecomércio/SC, uma assembleia geral no dia 24 de outubro de 1967, sob a presidência de Haroldo Soares Glavam, o Sindicato é aceito como associado do Sistema Confederativo do Comércio.

 

1978

Em 27 de fevereiro, na sede recém inaugurada na Rua Hercílio Luz, nº 110, 4º andar, a Agência do Senac em Itajaí passa a funcionar no mesmo local. Em 19 de outubro do mesmo ano, foi votada a extensão de representação para o comércio lojista, varejista e atacadista, passando a se chamar Sindicato do Comércio Lojista, Varejista e Atacadista de Itajaí.

 

1980

Em 28 de fevereiro, o sindicato tem novo nome e passa a se chamar Sindicato do Comércio Varejista de Itajaí, segundo a portaria do MTb 324.090/78, por Murilo Macedo.

 

1982

O sindicato compra uma sede própria, na Rua Pedro Ferreira, número 155, 17º andar, sala 1701, no Edifício Genésio de Miranda Lins. O Sindicato faz a contratação de serviços de advocacia. Em 16 de junho, numa reunião extraordinária na sede do CDL, o advogado Luiz Tarcisio passa a atuar em caráter experimental sob aprovação dos associados.

 

1984

Primeira ação da nova diretoria, liderada por Paulo Roberto Sada Graf, é transferir a sede do sindicato para a sede da CDL, na rua Lauro Muller, unindo CDL, Sindicato e SPC. É criada uma central de cobranças. 

 

1991

Tempos difíceis para negociações. Acontece o primeiro dissídio coletivo. O Sindicato no mesmo ano de torna Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Itajaí e Região.

 

1994

É realizada a primeira pesquisa de satisfação do comércio com a Brasmarket. No dia 24 fevereiro de 1994, o Sindicato ajudar e articular a fundação da Associação Intersindical Patronal de Itajaí. 

 

2001

Mudança no estatuto para mandato de dois anos, para coincidir com os mandatos da federação e confederação do comércio. Decide-se a inclusão do sindicato no sistema Sicomércio. 

 

2002 

A partir deste ano, o sindicato dos atacadistas é fundado, alterando a denominação da entidade para Sindicato do Comercio Varejista de Itajaí.

 

2005 

No dia 6 de outubro, numa Assembleia Geral Extraordinária, com 15 associados, discute-se a aprova-se a edificação do prédio do Sindilojas em terreno na Rua Brusque, a fim de proporcionar renda para a entidade. Projeto é elaborado pelo engenheiro João Carlos Toth.

 

2007

Acontece a inauguração do Centro Empresarial Sindilojas, edifício de dois pavimentos na Rua Brusque.

 

2008

No dia 29 de fevereiro, no Restaurante Castelo Montemar, o Sindicato comemora seu cinquentenário com a presença de ex-presidente, comerciantes fundadores e convidados. É lançada a revista sobre a história do sindicato.

 

?